5 CUIDADOS COM O SISTEMA DE COMBATE A INCÊNDIO

Ter um sistema não significa que tudo vai funcionar quando necessário, para isso, precisamos fazer inspeções periódicas.
Geralmente são feitos são as inspeções de extintores e hidrantes, mas não basta isso, lógico, por exemplo:

1 – Casa de Bombas: as bombas precisam ser testadas periodicamente. Será que elas vão entrar no modo automático se necessário? E será que elas funcionam realmente no modo manual?
Isso precisa ser avaliado, uma boa forma de fazer é por meio de simulados, por exemplo. O importante é sempre fazer esse acompanhamento!
Não estou falando que o pessoal da segurança do trabalho (SESMT) vai executar essa manutenção. Pode ser uma terceirizada, por exemplo, ou mesmo a própria manutenção da empresa. O importante é que a segurança do trabalho esteja envolvida. Estabelecer os prazos, fazer a gestão em relação a isso. Se envolver para saber como tudo está.
Tem Técnico de Segurança que nem sabe onde fica a casa de bombas!
Lembro que certa vez entrei em uma empresa que não tinha nem o motor que bate água para o hidrante! Ainda bem que fui lá! Se eu não tivesse inspecionado, em uma situação de sinistro não poderíamos nem ligar o sistema.

2 – Registros: outro problema frequente é o das válvulas os registros para a abertura e passagem da água dos hidrantes e sprinklers. Esses também têm de ser inspecionados periodicamente, e também lubrificados principalmente os que ficam em áreas externas, eles ficam no tempo, pegando chuva, sol. Com o tempo eles vão oxidar.
Aconteceu comigo em uma empresa que tinha visita da seguradora para fazer uma inspeção, uma vistoria geral. E nesta vistoria ele abria cada registro, um desses registros que ele abriu, na verdade não abriu. E nós fomos forçar com chave na tentativa de abrir e acabamos quebrando o registro, percebe a vergonha que foi?E, além disso, a falha no sistema como um todo, caso fosse necessário não teríamos como abrir aquele hidrante.

3 – Sprinklers: temos também que ver a questão dos sprinklers que precisamos periodicamente testá-los, avaliar a questão dos detectores de fumaça. Precisamos estar inspecionando e testando.

4 – Alarmes: precisamos tirar um dia para pegar cada ponto de alarme e verificar se estão funcionando, também é importante ir na central de alarme que geralmente fica na portaria, para ver se está tudo ok.
Realmente e o ideal é que tenha uma empresa que faça esse acompanhamento, mas mesmo que não tenha essa empresa nós precisamos fazer o que for possível. Então percebe que não basta à manutenção corretiva, precisamos fazer as inspeções para justamente verificar se é preciso ou não fazer uma corretiva.
Também precisamos ter um acompanhamento preventivo.

5 – Caixa d’água: Todo sistema que se preze tem uma reserva técnica, ou seja, uma reserva de água separada para caso de incêndio. Tem gente que pega essa reserva para fazer limpeza, e acaba utilizando a água, às vezes na totalidade. E se acontece um incêndio justamente naquele dia que fizemos a lavagem? Isso é só mais uma falha no sistema! Uma falha que pode custar vidas e o patrimônio do empregador.
Então precisamos inspecionar e verificar periodicamente, orientar a manutenção! Ás vezes eles utilizam a água de forma inadequada por desconhecimento mesmo.
Em geral o empregado não faz isso de má fé, só está com o interesse de ajudar a empresa e fazer o seu serviço mais o rápido possível.
Precisamos entender tudo isso e passar a informação para que ele entenda e corrija sua conduta.

Não iremos fazer muito do que eu estou falando, porém, iremos gerenciar tudo que envolve a segurança!
Você pode estar pensando, ah é isso é problema da manutenção! Na verdade a execução é da manutenção, mas as consequências são da segurança do trabalho.
Cuidados com o sistema de combate a incêndio é fundamental para que ele funcione de fato. Precisamos acompanhar a realização de avaliações e acompanhamentos preventivos, e fazer o gerenciamento.